Tabela de propriedades MGS plásticos – Rápida e fácil de usar.

Tomar uma decisão é algo que exige muito de nós, e quando levamos essa situação para o campo empresarial, as coisas complicam um pouco mais. Esse processo vai da identificação do problema, definição de critérios de análise, analisar e verificar a eficácia da decisão.
.
Pensando nisso desenvolvemos uma tabela rápida e fácil de usar, com as principais propriedades de nossos produtos, facilitando a comparação entre os coeficientes.
.
De acordo com o filósofo e matemático Pitágoras, “com organização e tempo, acha-se o segredo de fazer tudo e bem feito”, poupe tempo em sua tomada de decisão!

Tabela de Propriedades:


.
Nosso telefone: (41) 2107-1616 ? ?
Nosso endereço ??
? Rua Terra Boa, 761 – Pinhais – PR – Brasil ?

A dureza

 

A dureza é a propriedade de um material que permite a ele resistir à deformação plástica, usualmente por penetração. Podemos associar o termo à resistência à flexão, risco, abrasão ou corte.
A dureza é determinada através de ensaios de penetração que consistem na impressão de uma pequena marca na superfície da peça conforme a carga aplicada, comumente são utilizados os seguintes processos:
– Por risco – Dureza Mohs;
– Por choque ou ressalto – Dureza shore;
– Por penetração – Dureza Brinell, Meyer, Vickers e Rockwell;
Cada processo possui suas vantagens e desvantagens e deve ser utilizado de acordo com a particularidade de cada material; Grande parte dos fabricantes de plásticos de engenharia utiliza a metodologia Rockwell ou Shore para determinar a dureza de seus materiais.
Dureza Shore
A dureza Shore surgiu no ano de 1905 e é uma das mais antigas metodologias de determinação da dureza de materiais, as grandes vantagens deste tipo de ensaio consistem na fácil utilização do equipamento, que é portátil e de rápida adaptação, a possibilidade de medir a dureza de peças com grandes dimensões, processo este que não seria possível em máquinas cuja metodologia é a penetração e a possibilidade de medir a dureza de peças já acabadas, visto que a impressão Shore é pequena e praticamente imperceptível.
Outro tipo de ensaio que pode ser realizado, é através do Durômetro Shore. O material é submetido a uma pressão que é aplicada através de uma mola calibrada que atua sobre um endentador, que pode ser esférico ou cônico. Um dispositivo sinaliza o valor da dureza que é equivalente ao valor da profundidade da penetração.
Existem diferentes métodos de ensaio Shore que são embasados nas seguintes normas:
ASTM D-2240
DIN 53 505
ISO 7619 Parte 1
JIS K 6301 *
Asker C-SRIS-0101
ASTM D-785 ISO 2039-2 (MGS PLÁSTICOS)

Características do processo –
– Os resultados obtidos são medidas úteis para determinação da resistência à endentação para vários tipos de polímeros;
– Não pode ser utilizado para prever outras propriedades como resistência à abrasão ou desgaste;
– Não pode ser como base para especificação de um projeto ou produto;

Dureza Rockwell

A metodologia de ensaio foi desenvolvida em 1922 pelo senhor Rockwell. É um dos processos mais utilizados no mundo inteiro, devido à rapidez e facilidade de execução, a isenção de erros humanos, a possibilidade de identificar pequenas diferenças de durezas e o pequeno tamanho da impressão na peça.
O ensaio é realizado em etapas, primeiramente colocamos uma pré carga para garantir um contato firme entre o penetrador e o material ensaiado, posteriormente aplica-se a carga do ensaio.
A leitura da dureza é mostrada diretamente em um mostrador que é acoplado à máquina de ensaio, de acordo com um escala predeterminada, adequada a cada tipo de material.
A dureza é sempre citada com o símbolo HR, seguido pela escala utilizada no ensaio (A, B, C, D, E ).
As grandes vantagens proporcionadas pela metodologia Rockwell são:
– Rapidez;
– Isenção de erros humanos;
– Pequeno tamanho de impressão;
– As superfícies não necessitam de polimento;
– Pequenas irregularidades são eliminadas pela pré-carga;
– Não necessita de sistema óptico, o valor correspondente a dureza aparece no mostrador acoplado ao equipamento;
– O equipamento é simples;

Poliacetal – O termoplástico do momento!

 

Derivado do Formaldeído o Poliacetal ou Polioximetileno foi criado nos anos 60 pela DuPont com o nome comercial de Delrin, o Poliacetal (POM) homopolímero reinou solitário por 2 anos quando surgiu o POM copolímero da Celanese, o Celcon. Pouco tempo mais tarde a Celanese uniu-se a Hoechst e as resinas de acetal receberam o nome de Hostaform. Atualmente as marcas Celcon e Hostaform pertencem à empresa Ticona. (Simielli e Santos, 2010)
De forma geral o POM se destaca por apresentar atoxidade, excelente resistência ao escoamento e à fadiga por vibrações, baixo coeficiente de atrito, elevada resistência a abrasão e agentes químicos e solventes, alta dureza e mantem suas propriedades quando imerso em água quente. (Albuquerque, 1999)

O POM Copolímero se destacou no mercado por possuir algumas vantagens sobre seu irmão mais velho o Homopolímero como serem mais rígidos, possuírem maior resistência à tração, ao impacto e à abrasão, melhor desempenho em soluções alcalinas fortes e em aplicações sob carga a longo prazo.

Com todas estas vantagens o termoplástico POM vem para substituir o metal como bronze, ferro e zinco em diversas aplicações. Por ter alta resistência mecânica, rigidez e baixíssima absorção de umidade o Poliacetal MGS – POM MGS tem participado de aplicações antes limitado para o Nylon 6 se tornando um dos plásticos de engenharia mais versáteis do momento, sem contar com o seu bom acabamento após usinagem que é um dos melhores entre os plásticos. Isso tem deixado o POM em evidencia no mercado e seu consumo é crescente.

Quando incorporado aditivos melhoram a performance de algumas condições como no caso da incorporação de fibra de vidro que torna o produto mais rígido, com maior resistência à fluência e menor empenamento. Já a adição de elastômero pode deixar o POM com maior resistência ao impacto.
A maior diferença entre o POM homopolímero e copolímero, é que o primeiro possui alta resistência à tração, compressão e cisalhamento. Além disso tem alta resistência à fadiga e resiliência grande espaço de temperatura e umidade tornando-se perfeito para fabricação de molas. Enquanto isso o POM copolímero como vantagem sobre o homopolímero o seu ótimo desempenho quando exposto ao ar em temperaturas até 105ºC ou em água até 80ºC por longo período de tempo.( WIEBECK e HARADA, 2005)

Dentre as aplicações mais usadas com o POM temos peças industriais para usos mecânicos, na indústria automobilística, engrenagens, mecanismos de elevadores, molas, bombas, fabricação de peças de alta precisão, peças estruturais de pequeno porte, buchas, mancais, acoplamentos, roscas sem-fim, roldanas, flanges, acoplamentos, roletes, guias para máquinas, etc.

Suas principais propriedades são : (MANO, 1996)

  • Baixo peso específicos (1,41 g/cm3)
  • Temperatura de Trabalho -30 a 100? C
  • Dureza Rockwell R120
  • Absorção de umidade (23ºC 50%UR) 0,30%
  • Ponto de Fusão 165°C

O Tarugo Poliacetal MGS (POM MGS), Chapa Poliacetal MGS e o Tubo / Bucha em Poliacetal MGS natural são fabricados pelo processo de extrusão e identificados com a pintura em forma de números na cor Vermelha na ponta da peça. O número indica a medida da peça em milímetros e a cor Vermelha identifica que o plástico é um Poliacetal MGS (POM MGS).

A MGS Plásticos fabrica o Tarugo Poliacetal MGS (POM MGS) redondo, Tarugo Poliacetal MGS (POM MGS) quadrado, Chapa Poliacetal MGS (POM MGS) no tamanho (largura x comprimento) de 500x3000mm, 1000x2000mm e 1000x3000mm e também Tubos Poliacetal MGS (POM) nos tamanhos (diâmetro externo x diâmetro interno) de 040x20mm até 300x100mm com comprimento de 1.000mm e 3.000mm.

Além disso a MGS Plásticos pode fornecer o Tarugo de Poliacetal assim com a Chapa de Poliacetal e Tubo / Bucha em Poliacetal pigmentado com a cor de sua escolha além de também poder ser aditivado com alguma carga conforme a sua necessidade como por exemplo POM + Bissulfeto de Molibdênio, POM + PTFE, POM + Fibra de Vidro, etc.
Nossa equipe comercial está pronta para atendê-lo clique abaixo e envie agora mesmo seu orçamento!

Contamos com um departamento técnico especializado em Plásticos de Engenharia e Industriais que fica à disposição de nossos clientes para auxiliar sobre qualquer dúvida de uso ou características dos produtos, basta responder as perguntas do formulário e enviar que em seguida nosso departamento técnico entrará em contato oferecendo o auxílio que sua empresa necessita.
Se ficou alguma dúvida sobre envie-nos um e-mail ou clique abaixo e faça sua pergunta! Ficaremos muitos felizes em ajudar!

Referência Bibliográfica:

ALBUQUERQUE, Jorge Artur Cavalcanti. O PLÁSTICO na prática. 2ª Edição. Porto Alegre: Editora Sagra Luzzatto, 1999.
MANO, Eloisa Biasotto. POLÍMEROS COMO MATERIAIS DE ENGENHARIA: 1. Ed. São Paulo: Editora Afiliada, 1996.
WIEBECK, Hélio; HARADA, Júlio. PLÁSTICOS DE ENGENHARIA, TECNOLOGIA E APLICAÇÕES. 1° Edição. São Paulo: Artliber Editora Ltda, 2005.
SIMIELLI, Edson Roberto; SANTOS, Paulo Aparecido. PLÁSTICOS DE ENGENHARIA, PRINCIPAIS TIPOS E SUA MOLDAGEM POR INJEÇÃO. 1° Edição. São Paulo: Artliber Editora Ltda, 2010.

Conheça o Nylon 6 MGS (NY 6)

O Nylon 6 (NY 6) é um termoplástico da família das Poliamidas (PA).

Por ter características vantajosas em relação aos metais, o Nylon 6 é um dos plásticos mais utilizados em vários segmentos industriais e agropecuários graças ao seu baixo peso específico, resistência ao impacto, baixo coeficiente de atrito entre outras vantagens.

Os tarugos, chapas e tubos de Nylon 6 MGS são identificados pela pintura de números na cor preta na ponta da peça quando o material é natural e branco quando o material for pigmentado e que indicam a medida em milímetros das mesmas.

APLICAÇÕES

Engrenagens, Rodas, Roldanas, Chavetas, Cremalheiras, Carnes e Buchas, Estrelas Alimentadoras, Roletes, Sapatas, Placas Deslizantes. Clique e saiba mais

CARACTERÍSTICAS

Baixo peso específicos (1,14 g/cm3), Temperatura de Trabalho -40 a 100? C, Dureza – R100, Absorção de umidade (23ºC 50%UR) 3,0% . Clique e saiba mais

A MGS é uma indústria focada na fabricação e distribuição de Plásticos de Engenharia para diversos setores econômicos. Possui capacidade produtiva e qualidade para atender a todas as exigências do mercado brasileiro e internacional.

Fornece produtos como tarugos, chapas e tubos em Nylon 6, Nylon 6.6/6 MGS, PP, PEAD e POM para as maiores indústrias brasileiras, sendo referência neste mercado.

Nossa equipe está pronta para atendê-lo sobre qualquer dúvida de uso ou características dos produtos.

Conheça a nossa linha completa de produtos.

Equipe MGS Pásticos

Conheça o Poliacetal MGS (POM)

O Poliacetal MGS (POM) é um dos termoplásticos que tem conquistado muito destaque em inúmeras aplicações. Isto se deve em razão de suas excepcionais propriedades técnicas que o diferenciam dos demais plásticos de engenharia com muitas vantagens.

Com excelente estabilidade dimensional, baixíssimo coeficiente de atrito, baixa absorção de umidade além de sua atoxidade tem feito do Poliacetal MGS (POM) uma opção apropriada para seu projeto.

Os tarugos, chapas e tubos em Poliacetal MGS (POM) são identificados pela pintura de números na cor vermelha na ponta da peça que indicam a medida em milímetros das mesmas.

APLICAÇÕES

Engrenagens, Peças de Alta Precisão Dimensional, Roldanas, Roscas Sem Fim, Cremalheiras, Buchas, Estrelas Alimentadoras, Roletes.

CARACTERÍSTICAS

Baixo peso específicos (1,41 g/cm3), Temperatura de Trabalho -30 a 100? C, Dureza – R120, Absorção de umidade (23ºC 50%UR) 0,30% ,

A MGS é uma indústria focada na fabricação e distribuição de Plásticos de Engenharia para diversos setores econômicos. Possui capacidade produtiva e qualidade para atender a todas as exigências do mercado brasileiro e internacional.

Fornece produtos como tarugos, chapas e tubos em Nylon 6, Nylon 6.6/6 MGS, PP, PEAD e POM para as maiores indústrias brasileiras, sendo referência neste mercado.

Nossa equipe está pronta para atendê-lo sobre qualquer dúvida de uso ou características dos produtos.

Conheça a nossa linha completa de produtos.

 EQUIPE MGS PLÁSTICOS

[email protected]
(41) 2107-1616 / fb.com/mgsplasticos

Faça um orçamento agora mesmo!

Saiba mais sobre o Poliacetal MGS (POM)

O Poliacetal MGS (POM) é um termoplástico da que tem ganhado muito destaque em inúmeras aplicações. Isto se deve em razão de suas excepcionais propriedades técnicas que o diferenciam dos demais plásticos de engenharia com muitas vantagens.

Com excelente estabilidade dimensional, baixíssimo coeficiente de atrito, baixa absorção de umidade além de ser atóxico tem feito do Poliacetal MGS uma opção apropriada para seu projeto.

Os tarugos, chapas e tubos de Poliacetal MGS (POM) são identificados pela pintura de números na cor vermelha na ponta da peça que indicam a medida em milímetros das mesmas.

————————————————————————————————————————————————————

A MGS é uma indústria focada na fabricação e distribuição de Plásticos de Engenharia para diversos setores econômicos. Possui capacidade produtiva e qualidade para atender a todas as exigências do mercado brasileiro e internacional.

Fornece produtos como Nylon 6, Nylon 6.6/6 MGS, PP, PEAD e POM para as maiores indústrias brasileiras, sendo referência neste mercado.

Nossa equipe está pronta para atendê-lo sobre qualquer dúvida de uso ou características dos produtos.

Conheça a nossa linha completa de produtos.
Equipe MGS Plásticos
[email protected]
(41) 2107-1616 / fb.com/mgsplasticos

Faça um orçamento agora mesmo!

Tudo sobre o Nylon 6 MGS (NY6)

O Nylon 6 (NY 6) é um termoplástico da família das Poliamidas (PA). Por ter características vantajosas em relação aos metais, o Nylon 6 é um dos plásticos mais utilizados em vários segmentos industriais e agropecuário graças ao seu baixo peso específico, resistência ao impacto, baixo coeficiente de atrito entre outras vantagens.

Os tarugos, chapas e tubos de Nylon 6 MGS são identificados pela pintura de números na cor preta na ponta da peça quando o material é natural e branco quando o material for pigmentado e que indicam a medida em milímetros das mesmas.

A MGS é uma indústria focada na fabricação e distribuição de Plásticos de Engenharia para diversos setores econômicos. Possui capacidade produtiva e qualidade para atender a todas as exigências do mercado brasileiro e internacional.

Fornece produtos como tarugos, chapas e tubos em Nylon 6, Nylon 6.6/6 MGS, PP, PEAD e POM para as maiores indústrias brasileiras, sendo referência neste mercado.

Faça um orçamento agora mesmo!

Áreas de aplicações do Poliacetal

O Poliacetal também conhecido por sua abreviação POM (Poli-Oxi-Metileno) foi descoberto em 1956 e é proveniente do formaldeído. O Poliacetal (POM) é um plástico de engenharia rígido com excepcional estabilidade dimensional, baixíssima absorção de água, baixo coeficiente de atrito, elevada resistência à abrasão e agentes químicos.

O Poliacetal (POM) é um termoplástico cristalino, usado em peças de precisão que requerem uma elevada rigidez, baixo atrito e excelente estabilidade dimensional. O Poliacetal (POM), tem como características principais a rigidez, excelente resistência à abrasão, excelente acabamento pós usinagem e além de ser fornecido em sua cor natural (branco) pode ser produzido também em outras cores.

As aplicações típicas para Poliacetal (POM) em bastões, chapas e tubos incluem componentes de alta engenharia de desempenho, rodas, engrenagens, rolamentos de esferas, guias deslizantes, roletes, etc.

O Poliacetal (POM) vem tendo destaque no mercado graças à combinação de suas propriedades que faz com que sua aplicação alcance as mais diversas áreas da indústria.

Confira abaixo alguns exemplos de aplicações do Poliacetal (POM):

  • Elaboração de peças de alta precisão;
  • Peças estruturais de pequeno porte;
  • Guias de barramento para máquinas operatrizes;
  • Mancais, buchas, acoplamentos;
  • Engrenagens, vedações, arruelas;
  • Roscas sem-fim, guias, roletes;
  • Roldanas, parafusos, cones e elementos de válvula.

Nossa equipe está pronta para atendê-lo sobre qualquer dúvida de uso ou características dos produtos. Entre em contato: (41) 2107-1616 | www.mgsplasticos.com.br  | Skype: contato.mgsplasticos

Conheça as diferenças entre os plásticos do dia a dia

Muito presente na vida cotidiana, o plástico é um material com grande adaptabilidade que compõe uma gama de produtos. Sua alta durabilidade, menor consumo de energia na produção e facilidade de processamento são fatores que o tornam extremamente prático para diversas utilizações.

Plásticos são polímeros cuja matéria-prima derivada principalmente do petróleo. O Brasil já está desenvolvendo um Plástico a partir de um subproduto do Etanol, e apesar de muitas pesquisas serem conduzidas sob diferentes rotas para se obter um polímero, o processo químico continua sendo o mais vantajoso economicamente e muitos dos materiais assim produzidos podem ser reciclados.

Existem diversos tipos de plásticos e cada um tem suas propriedades particulares e consequentemente aplicações diferenciadas.

Dentre os diversos tipos de plásticos podemos citar os seguintes:

  • PP – Polipropileno: um dos termoplásticos de menor peso específico e com excelente resistências à produtos químicos além de ser soldável torna o PP uma excelente opção para fabricação de peças para indústria química.
  • PEAD/PEBD – Polietileno de Alta e Baixa Densidade: São polímeros produzidos a partir da mesma molécula, porém em densidades diferentes, o que diferencia suas propriedades. O PEAD – Polietileno de Alta Densidade, é usado para peças como tampas, chapas de corte de alimentos, pás para contato com alimentos, guias, etc. O PEBD serve para fabricar sacolas, filmes, sacos de lixo etc. Ele é leve, transparente e flexível;
  • PVC – Policloreto de Vinila: Comum na produção de canos, telhas, janelas, portas também é fabricado em semiacabados como bastões e chapas para fabricação de peças usinadas para ser usada principalmente na indústria química;
  • PET – Poli-tereftalato de etileno: É o mais conhecido de todos: é o plástico que compõe nossas garrafas de refrigerante e água.já como semiacabado ele apresente excelente estabilidade dimensional e resistência química que permite o seu uso em contato com óleos, graxas e hidrocarbonetos sem sofrer nenhuma degradação ou alteração na sua estrutura.
  • Em nosso próximo post falaremos sobre outros plásticos!

Nossa equipe está pronta para atendê-lo sobre qualquer dúvida de uso ou características dos produtos. Entre em contato: (41) 2107-1616 | www.mgsplasticos.com.br | Skype: contato.mgsplasticos

História do Plástico

O nome “plástico” origina-se do grego plassein e exprime a característica dos materiais quanto a moldabilidade (mudança de forma física) por meio de alterações de condições de pressão e calor, ou por reações químicas.

O primeiro acontecimento que levou à descoberta dos plásticos foi o desenvolvimento do sistema de vulcanização, por Charles Goodyear, em 1839, adicionando enxofre à borracha bruta. A borracha tornava-se mais resistente ao calor.

O segundo passo foi a criação do nitroceluloide, em 1846 por Christian Schönbein, com a adição de ácido sulfúrico e ácido nítrico ao algodão. O nitroceluloide era altamente explosivo e passou a ser utilizado como alternativa à pólvora.

Posteriormente, foi desenvolvido o celuloide com a adição da cânfora. Esse novo produto tornou-se matéria-prima na fabricação de filmes fotográficos, bolas de sinuca, placas dentárias e bolas de pingue-pongue.

Em 1909, Leo Baekeland criou a baquelite, primeiro polímero realmente sintético, podendo ser considerado, portanto, o primeiro plástico. Era resultado da reação entre fenol e formaldeído. Tornou-se útil pela sua dureza, resistência ao calor e à eletricidade.

Na década de 30 foi criado um novo tipo de plástico: a poliamida ou comercialmente chamada de Nylon.

Após a Segunda Guerra Mundial foram criados outros, como o dácron, o isopor, o poliestireno, o polietileno e o vinil. Nesse período, os plásticos se difundiram no cotidiano das pessoas de tal forma a não ser possível imaginar o mundo de hoje sem eles.

Nossa equipe está pronta para atendê-lo sobre qualquer dúvida de uso ou características dos produtos. Entre em contato: (41) 2107-1616 | www.mgsplasticos.com.br  | Skype: contato.mgsplasticos